[Terça-feira Cult] Roubada, Lesley Pearse

6 comentário(s)
Olá, pessoal!


Faz exatamente um ano que postei aqui pela primeira vez! É isso mesmo... Há um ano, escrevi o primeiro Domingo Cult, que marcou minha entrada na família Doce Encanto! E me lembro até hoje da ansiedade, do nervosismo que tomava conta de mim e do número de vezes que abri a página do blog para ver quando a postagem iria ao ar!

Desde então, muitas coisas aconteceram... A coluna continuou (mesmo aos trancos em barrancos... rsrsrs), eu também assumi a Fique Por Dentro e pude entrevistar pessoas especiais... O blog também cresceu, tanto em popularidade, quanto em colaboradores.

A questão é que, desde que eu percebi que esse 24 de julho era especial, que comecei a pensar no que poderia fazer para vocês! “Ora, - vocês logo diriam – uma promoção”. Bom, promoções são com a Rapha (né, Florzinha?? :D)... E eu estava pensando mesmo em como seria o post comemorativo.

Apesar da variedade de ideias que passaram pela minha cabeça, acredito que a melhor forma de presentear vocês é com um Domingo Cult especial... Ou, melhor dizendo, uma Terça Cult. Afinal, foi escrevendo resenhas que vocês me conheceram e, até então, parece que gostam!

Para terminar, gostaria de agradecer imensamente a todos que sempre leram e comentaram em meus textos. E também por me aguentarem por tanto tempo! Alguns de vocês inclusive, pela frequência com que deixavam suas opiniões, acabaram se tornando meus amigos. E pode ser que vocês não saibam, mas eu respondo a cada um dos comentários (podem conferir nos posts antigos!).

Então vamos lá? Vamos aproveitar mais uma resenha feita com todo o carinho?

Um grande beijo,
Tullia Maria
 
Roubada, de Lesley Pearse

  + Informações

(...) nós somos a soma das nossas experiências passadas

Primeiro, um profundo mistério. Depois, uma crescente curiosidade, seguida de horror, ao descobrir, página a página, o que verdadeiramente aconteceu. Por fim, um fio de esperança. Essas são algumas das sensações às quais o leitor de “Roubada” provavelmente será submetido enquanto se depara com essa trama em que, inicialmente, o passado é tão desconhecido quanto o futuro.

Uma garota é encontrada desacordada numa praia por David Mitchell. Além das preocupações habituais sobre o seu estado de saúde, David e a polícia se deparam com mais um problema: a moça não se lembra de absolutamente nada sobre o seu passado ou sobre quem é. Para tentar descobrir algo sobre essa misteriosa figura, eles recorrem à mídia, que divulga o caso.

A resposta vem através de Dale Moore, que reconhece a garota: Lotte WainWright, uma cabeleireira que trabalhou com ela durante um cruzeiro. Entretanto, há muito tempo não possuía informações sobre ela. A única certeza é que Lotte sofreu algo, mas é preciso desvendar o que especificamente ocorreu com aquela garota, como ela foi parar naquela situação e que perigos ela ainda poderia enfrentar. E é em meio a essa névoa de incertezas que a trama se desenrola.

A partir do momento que algumas passagens começam a vir à tona, o leitor consegue ter uma ideia de quem foram os culpados pelo crime. Entretanto, é quase impossível esboçar toda a história de Lotte. Apesar de alguns elementos parecerem absurdos, não chegam a ser surreais, afinal, quantas e quantas histórias “inacreditáveis” não nos deparamos a cada dia?

Durante toda a obra há um grande destaque para o psicológico e para a história das personagens, que, de certa forma, servem de justificativa para as suas atitudes e personalidade. As personagens também são muito fortes e, mais do que conhecê-las através da (simplória) descrição da autora, conseguimos desvendá-las ao longo de suas ações na trama.

Uma das personagens mais intrigantes é, certamente, Peggy WainWright, a mãe de Lotte. O leitor não entende o que motiva uma mãe a agir de maneira tão indiferente e isso só aumenta a vontade de viajar pelas lembranças da infância de Lotte (que também foram esquecidas). Afinal, algo terrível a garota deve ter feito para merecer isso. Ou será que não?

Apesar de possuir capítulos longos, a obra não se torna cansativa, devido às pausas que há na mudança de uma cena para outra. Além disso, Lesley consegue dosar muito bem as revelações ao longo da trama, parando, estrategicamente, os capítulos em momentos que contribuem para aflorar a nossa curiosidade.

Um dos pontos altos do livro fica por conta da facilidade da autora em trocar o foco narrativo, fazendo com que o leitor possa saber o que determinada situação significa para as diversas personagens. Outro aspecto positivo são as notas de rodapé, que ajudam a situar sobre locais, objetos e atrações citados.

O grande problema da obra é em relação à revisão. É possível encontrar significativos erros de digitação, que envolvem pontuação, acentuação, troca de letras e até mesmo frases que, pela ausência ou acréscimo de palavras, ficam sem sentido. Outro aspecto que deixou um pouco a desejar foi o final. Não que seja ruim, mas com toda a certeza deixa o leitor com “gosto de quero mais”.

Após o fim da história, há ainda dois anexos: um com a biografia da autora e outro com uma entrevista com ela sobre a obra. Através delas, podemos descobrir como a história de Lotte foi pensada e porque ela recebeu uma carga tão dramática. Vale muito a pena aproveitar para conhecer o que se passa pela cabeça dessa grande autora.

“Roubada” não é indicado apenas para quem gosta de suspense policial, mas para quem está disposto a se deparar, por algumas horas, com dramas pessoais e familiares. Também não pode ser lido por pessoas de todas as idades, devido às cenas de sexo e à enorme carga dramática. Ao escolher essa obra, o leitor deve estar disposto a se envolver profundamente e a aprender com Lotte que sempre é possível se redescobrir.


Tullia Maria Erseni, 16 anos, cursa o 3º ano do Ensino Médio.
Mora no interior da Bahia. É bem capricorniana e uma das suas maiores paixões são os livros!


 


6 comentários:

Hannah Monise disse...

Ai, como eu tenho invejinha (boa) da maneira como você escreve, Tullinha! ><
Primeiro, parabéns pelo um ano! Estou aqui te acompanhando desde o comecinho e sou uma das leitoras assíduas que viraram suas amigas. *-*
Adorei a resenha (novidade!)! Eu quero muito ler esse livro, cheguei a ler o primeiro capítulo naqueles folhetinhos que as editoras dão, sabe? Saiu a segunda edição, com capa nova e, espero, com menos erros, hehe.
É bem a nossa cara esse livro, hein?

Beijos,
http://secretsofbook.blogspot.com.br

Maryhelen Bastos disse...

Adorei o post e fiquei super curiosa em saber mais sobre o passado e futuro da personagem.
Gosto de livros que te prende e quando vc menos espera está louca querendo saber todos os detalhes da obra.

Parabéns pelo 1 aninho e que muitos mais venham!!

bjs

Ju disse...

Eu fico feliz que existam pessoas com todos os gostos no mundo! rs...

Eu ODIEI Roubada. Pode parecer contraditório, mas admiro a autora, acho que ela fez um ótimo trabalho. Só que esse livro não foi feito pra mim. Não tenho estômago. Tive pesadelos por bastante tempo depois de ler. Muita violência, física e psicológica. Morri de nojo e de revolta.

Enfim, esse livro me ensinou que não é porque ganhei um livro que preciso ler. Posso trocar! rs

Ju
Entre Palcos e Livros

Mireliinha disse...

A Lilian do Diva leu esse livro e adorou! *-* Não faz meu tipo, já que eu me envolvo além da conta com as histórias que leio, mas pra quem curte, parece ser uma ótima pedida! *-*

P.S: Parabéns pelo 1º aninho! Que venham outros! \o/

:*
Mi
Inteiramente Diva

Bruna Guedes disse...

Parabéns pelo "um aninho" no Doce Encanto!!!
Gostei muito da resenha. Ainda não tinha ouvido falar sobre esse livro, mas também não sei se quero lê-lo, tenho uma pilha enooooorme ainda para comprar (ainda!)

Beijoss
http://bibliotecaaconchegante.blogspot.com

Tullia Maria disse...

Oi, gente!! Obrigada pelos comentários! :) Vim respondê-los...

Hannah: Own, Flor! Invejinha para que?? Você escreve tão bem também!! Obrigada!! É verdade... Desde o início tem uma tal de Monise que sempre aparece por aqui! :P Muito obrigada pelo carinho, viu? É um livro bem legal... Mas um pouco pesado!! Sei com é!! Também espero... Acho que você iria gostar! ;D Beijos!!

Maryhelen: Que bom que gostou! :) É um livro que desperta bastante a curiosidade! Este é bem assim mesmo... Obrigada, Florzinha! Espero ficar um bom tempo ainda por aqui... Beijos!!

Ju: Que bom que existem, né? Eu havia falado na resenha que não é um livro para todo mundo... Tem que gostar de suspense e estar preparado para as passagens pesadas!

Mi: O perigo desse livro é se envolver bastante, pois você pode sofrer muito com o que a personagem viveu... Obrigada!! E que os anjos digam "amém"!

Bruna: Obrigada! ^^ Que bom que gostou!! Todos temos nossas prioridades, né? Bom... Quando decidir lê-lo, é importante que tenha um certo preparo emocional... Beijo!!

Beijão em todos... E até a próxima! ^^

Postar um comentário

Olá, muito obrigada pela visita!
Aproveite e deixe sua opinião a respeito do post, vou adorar! ;)

Para que eu possa responder seu comentário, deixe seu twitter, facebook, e-mail, ou qualquer outra forma de contato rsrs :D

Beijos e volte sempre :*