[Resenha] Paixão, Drogas & Rock'n Roll, Daniela Niziotek

15 comentário(s)
Autor: Daniela Niziotek
Editora: Maquinária
Páginas: 192
ISBN: 9788562063213


Adicione no skoob: aqui.


Curta a Fanpage!


Comprar: Extra (R$26,01) x Saraiva (R$ 35,00) x Submarino (R$ 31,00)


Sinopse: Brian Blue é vocalista e líder de uma das maiores bandas de hard rock do início dos anos 90 e Vicky, uma adolescente brasileira. Desse encontro improvável, nasce uma história de amor com todos os ingredientes dos tempos modernos. Com rara sensibilidade, Daniela Niziotek envolve o leitor ao abordar as dificuldades e concessões enfrentadas para a concretização dessa relação quando um fato trágico se interpõe, mudando para sempre a vida dos personagens. De modo delicado e comovente, mas com aguda percepção, Daniela fala das belezas e dores humanas, trazendo à tona, em meio a uma torrente de sentimentos, os bastidores do mundo do rock. Um mundo de muito glamour, mas também de desencanto e impossibilidades extremas. Brian e Vicky vivem e sofrem os dilemas do amor e da paixão, da insensatez e da lucidez, da luta para fazer prevalecer a razão em um universo cheio de contradições. Dessa mistura de emoções, nasce uma trama muito bem urdida que nos faz pensar sobre a essência do amor e suas nuances mais caprichosas e imprevisíveis.

Vou começar essa resenha com uma pergunta bem pessoal: Para você, o que significa "amor"?

Para uns significa pureza, sinceridade, segurança, para Vick e Brian Blue, personagens principais de PDRR, amor é o mesmo que obsessão, transtorno.

Final dos anos 90...

Vitória, ou Vick como é conhecida, acaba de se mudar para São Paulo onde começará seu sonhado curso de Filosofia na USP. Com apenas 18 anos é uma garota bem madura, centrada em seus sonhos, cuidadosa, cautelosa, a verdadeira boa moça; é totalmente o oposto daquele virá a ser sua grande paixão, o inglês Brian Blue. Arrogante, prepotente e  completamente problemático, ele é o vocalista de uma das maiores bandas de Rock da época, a banda Fears. Sem generalizar, mas como típico da época e de bandas de Rock, sua vida era regada a muita droga, sexo e álcool.

Os dois se conhecem no backstage do show do Fears no Brasil. Vick que até então nem sabia da existência da banda, fora apenas acompanhando a melhor amiga Carol, que era apaixonada pela banda e conseguira os convites VIP's com Ricardo, seu irmão e assessor pessoal de Brian.

A partir deste encontro nasce uma paixão avassaladora entre eles.

"Quando estou com você, não sei como dizer, é tão bom, eu quero você tanto... não me importaria se o mundo acabasse se eu estivesse com você. [...]
Pág. 91/92.

Porém sinto informar que PDRR não é um conto de fadas, que Brian não vai se transformar na pessoa mais doce do mundo e que eles viverão felizes para sempre, ao contrário disso, Daniela Niziotek explora todas as complicações e dificuldades desse amor louco e doentio.

O livro é escrito em 3ª pessoa, eu já disse que prefiro os escritos em 1ª pessoa porque me sinto dentro da história, mas durante a leitura fui mudando meus conceitos, ser narrado em 3ª pessoa foi extremamente importante para eu (leitora) poder ter meu próprio ponto de vista a respeito dos fatos e julgar da minha maneira os atos tanto do Brian Blue quanto da Vick. 

Vi algumas resenhas dizendo que tudo acontece muito rápido, em um momento eles se odeiam e no outro estão se amando, mas eu (digo apenas por mim, ok?) consegui sentir a intensidade do sentimento que havia entre eles, era algo absurdamente forte, um vício, então achei bem plausível essas idas e vindas.

Quanto ao final... é totalmente nostálgico! Terminei a leitura aos prantos com uma angustia, um aperto no peito, sem brincadeira, parecia que ia explodir. Isso sem contar na reflexão que o final da trama te proporciona.

Alguns dias depois de terminar a leitura ouvi a música "Bem que se quis" da Marisa Monte, na hora lembrei do livro. O trecho abaixo traduz exatamente o final da história.


♪ Bem que se quis
Depois de tudo
Ainda ser feliz
Mas já não há
Caminhos pra voltar
E o quê, que a vida fez
Da nossa vida?


Chocante e extremamente profundo, assim é Paixão, Drogas e Rock'n Roll, livro super recomendado!

15 comentários:

Tullia disse...

Feliz que você conseguiu traduzir o que sentiu, Rapha!
E me deixou curiosa em relação ao livro!
Resenha muito boa! ^^

Mônica Hatakeyama disse...

Pra mim foi o melhor livro de 2011.
É forte, mas a profundidade é o que tem de melhor em um livro.
Gostei demaisssssssssssss
Chorei por horas depois que terminei auhauhauha


Beijoss
http://leiturachick.blogspot.com/

Ceile disse...

Ok, Rapha! Mais um que vou comprar... kkkkk
Eu adoro quando sinto intensidade dos sentimentos dos personagens.
Tipo, não ligo que eles se amem nas primeiras páginas ou se odeiem logo depois, eu sempre "entendo" o sentimento!

Eu tb gosto de livros em primeira pessoa, mas é bom ter uma vista aérea rsrsrsrs

Tá, já imagino o final (ainda mais depois deste trecho - música linda) e sei que vou me acabar em lágrimas rs

Um beijo!

Roberta Ribeiro disse...

Lindo!

O post, o livro,o blog.Amei tudo *_*
Ainda não li nenhum livro deste autor.
Parece ser ótimo.

Me segue?
http://nomeuquartoeuleiomuito.blogspot.com/

Sua opinião é mto mto mto importante!
Bjaum

ROBERTA RIBEIRO
NO MEU QUARTO EU LEIO MUITO

Isabelly disse...

Mais um que está na minha listinha para comprar! Adoro livro que tem música, show no meio. Adorei a resenha!

Beijos,
Bells - Just a Girl

Vanessa Vieira disse...

Parabéns pela resenha Rapha! Estou ansiosa para ler Paixão Drogas e Rock N' Roll! Beijos!

Mireliinha disse...

Quero muito ler esse livro, Rapha! Já vi várias resenhas, que assim como a sua, mostram um "amor muito intenso"...
Vou me preparar emocionalmente e ler assim que puder adquirir!
AMEI!

:*
Mi
Inteiramente Diva

Entre Fatos & Livros disse...

OI Rafaaaaa!
Eu li e gostei demais! Curto livros intensos exatamente como esse. E o melhor, em minha opinião, foi o final. Não teve nada clichê e isso me ganhou demais, apesar de ter sido bem triste. Eu gostei.

Ah, amei a sugestão de música! Combina mto e eu amo Marisa Monte. Já estou escutando aqui.

BjoO
Pri
Entre Fatos e Livros

Renata Leite disse...

Oi!
Parabéns pela resenha! Já vi o livro, mais não me interessei pela estória..simples assim, rs.
Beijos, Renata :)

Jacqueline Braga disse...

eu quero muito livro, e pela sua resenha já vi que vou chorar.
bjos

Jacqueline Braga disse...

#ler o livro. foi malz, meu filho sem querer apagou..rs

Gisele Galindo ou simplesmente Gi. disse...

Oi, Rapha!!!!

Não tinha me interessado por esse livro até agora (pelo menos q eu lembre, rs)

Resenha mt boa!!!!

bjs***

Hannah Monise disse...

Raphaaaaa, concordo com você! Terminei de ler esse livro refletindo bastante, e o final me chocou, sabe? Achei bem justo, but...
É realmente intensa a história, vale muuito a pena ler.

Beijos, Hannah.
@secretsofbook
http://secretsofbook.blogspot.com

Janna disse...

Rapha vc conseguiu me deixar mto curiosa para ler esse livro, ainda mais depois do trecho da música, me pareceu que não tem um final feliz, eu gosto de livros que contam a realidade sabe, as vezes vc quer q a mocinha fique com o mocinho, mas as vezes não éh assim, na vida real as coisas são complicadas, eu gosto qdo o livro traz isso p/ o leitor um pouco da realidade sabe...
Adorei sua resenha...e quero ler pra tirar minhas conclusões sobre o livro...
BjOs!!!!

@jannagranado
http://livrospuradiversao.blogspot.com

Paloma Israely disse...

Ótima resenha! Não conhecia o livro, mas me parece mesmo muito bom, ainda mais com essa mistura de amor e rock. Espero ter oportunidade de lê-lo! ^^

Beijos! :*


@PalomaIsraely

http://palomaisraely.blogspot.com.br/

Postar um comentário

Olá, muito obrigada pela visita!
Aproveite e deixe sua opinião a respeito do post, vou adorar! ;)

Para que eu possa responder seu comentário, deixe seu twitter, facebook, e-mail, ou qualquer outra forma de contato rsrs :D

Beijos e volte sempre :*