[Fique Por Dentro] Os Pôlemicos Ghost Writers

23 comentário(s)

Olá, Pessoal!!

O “Fique Por Dentro” de hoje está com “um pezinho no outro mundo”!!  rsrsrs
Brincadeiras à parte, o tema desse mês é bastante interessante e polêmico: Ghost Witers!

Espero que vocês gostem!!

Beijo,
Tullia Maria ♥

Ghost Writers?  

"O assunto é tão polêmico, que até virou enredo de alguns filmes [...]"


Escritores fantasmas? A tradução literal pode até ser essa, mas, na verdade, não se trata de nada de outro mundo! Apesar de desaparecerem sorrateiramente após realizarem seus trabalhos, os ghost writers são muito reais e de grande ajuda para as pessoas que desejam publicar um livro ou precisam de um discurso pronto.

A profissão de “escritor fantasma” é reconhecida em alguns países, como é o caso do Canadá. Já em outros como os EUA, há uma categoria especial dedicada aos escritores de discursos, os speechwriters. Contudo, esses profissionais estão espalhados pelo mundo todo.

Contratados para escrever obras que serão assinadas por outras pessoas, os ghost writers não recebem nenhum mérito pelo trabalho publicado. Os direitos autorais ficam para o contratante, que paga apenas uma quantia (previamente combinada) ao escritor. Depois de terminado o serviço, o vínculo do ghost writer com sua obra deve ser cortado e ele jamais deve revelar o que fez.

Mas se a obra foi escrita por um ghost writer, como alguém pode acreditar que a autoria é de outra pessoa? Simplesmente porque, além de escrever, o “fantasma” precisa se preocupar em estudar seu contratante e imprimir a personalidade dele no texto, procurando ficar o mais convincente possível.

Como os contratos assinados exigem que o escritor se mantenha no anonimato, o número de ghost writers conhecidos pelo grande público é muito pequeno. Entre eles estão: Autran Dourado, que escrevia discursos para Juscelino Kubitschek, Chalaça que era ghost writer de D. Pedro I, e Mozart, que por muito tempo escreveu músicas para terceiros. Além destes casos, muitos outros, comprovados ou apenas conspirações, existem e despertam a curiosidade no mundo da política e das artes. 

J.K. em seu discurso na inauguração do Palácio da Alvorada. Discurso possivelmente não escrito por ele.


No mundo da literatura também existem alguns casos interessantes: Star Wars, por exemplo, não foi escrito por George Lucas, mas por Alan Dean Foster; muitos dos livros creditados a Virgínia Andrews foram escritos por Andrew Neiderman; e James Petterson conta com a ajuda de diversos “fantasmas”, que ele apresenta como co-autores de suas obras.



O curioso é que, principalmente no que se refere aos discursos, muitas frases que ficaram eternizadas por personalidades importantes foram, na verdade, criadas por ghost writers. Quer um exemplo? A famosa citação do presidente Kenedy ("Não pergunte o que seu país pode fazer por você, mas o que você pode fazer pelo seu país"), por exemplo, era de autoria do seu assessor Ted Sorensen.

O assunto é tão polêmico, que já virou enredo de alguns filmes, entre eles “O Escritor Fantasma” e “Budapeste”. Enquanto no primeiro, um ghost writer, ao ser contratado para escrever a auto-biografia de um primeiro-ministro inglês acaba colocando a sua vida em risco, em “Budapeste” (baseado no livro homônimo de Chico Buarque) um escritor anônimo perde a mulher para o homem que publicou o livro que ele mesmo escreveu. Já imaginam a dúvida que pairou pela cabeça da personagem principal? Pois é, ele pensa justamente: “ela se apaixonou por ele, ou pelo modo como ele escreve?”; e a partir daí se desenrola todo o drama do ghost writer.

Viu como ser um “escritor fantasma” não é tão fácil? Exige muita competência, ética e discrição! 

Se você, depois desse texto, ficou com vontade de publicar alguma coisa e não tem tempo para escrever, pode contratar um ghost writer. É só procurar um site especializado, escolher o melhor currículo e entrar num acordo. Bom trabalho para os dois!

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Ghost-writer

Confira outros "Fique por Dentro":










Sobre a colunista: 

Tullia Maria Erseni, tem 16 anos, cursa o 3º ano do Ensino Médio e mora no interior da Bahia. É bem capricorniana e uma das suas maiores paixões são os livros!

23 comentários:

Renata D'EÇA disse...

Que legal o post, já conhecia a profissão e também já vi o filme O Escritor Fantasma que é muito bom sinal!!! BJ

Camila Leite disse...

Caramba Tullia, que post fantástico! É claro que eu já havia ouvido falar desses tais Ghost Writers, mas nunca imaginei que fosse algo dessa magnetude, adorei as dicas dos filmes, já estão anotadas, espero vê-los em breve.
Muito bom o post.
Beijão!
Camila Leite

@sonhospontinhos
http://sonhosentrepontinhos.com

Gabriela Wegner disse...

Oi, queridas!
Nossa, achei muito legal esse "Fique Por Dentro".
Eu, sinceramente, não sabia que existiam esses escritores fantasmas!
Mas achei legal! E meio estranho também...
Adoro essa coluna!
Um beijo,

Anônimo disse...

Gostei!

Alquimia dos Romances disse...

Taí uma coisa que não consigo compreender. Cara, se tu tem talento, ter que sujeitar a escrever um livro para que outra pessoa leve os louros do seu trabalho? Eu não consiguiria. Vi um episódio do CSI Miami dia desses onde uma ghost writer acabava assassinada, porque estava chantageando a "escritora". Pra mim ia ser dureza gente... Nessas horas, agradeço ter "talento" só para ler mesmo...rsrsrs

Lis disse...

Oi!
Já tinha ouvido falar da profissão mas nunca havia entendido muito bem. E poxa, é realmente estranho, bem estranho na realidade. A pessoa tem talento, não precisa se esconder atrás da imagem dos outro.
Quanto aos filmes, eu assisti O Escritor Fantasma, é muito bom. O outro eu não conheço, fiquei curiosa.

Beijos
Lis - Batalha Literária

Nica disse...

Já tinha ouvido falar em Ghost Writers, mas nunca tinha parado para pensar nisso!
Ótimo post, como sempre, Tullia!
Parabéns!
Um beijo,
Nica

Adriana T disse...

Eu nem sabia que isso existia, interessante.

NATY disse...

Adorei o post! Ficou muito legal ,sempre tive curiosidade de entender melhor o que eram ghost writers e você acabou de me explicar tudinho haha'

Ana Ferreira disse...

Tullia,

Parabéns por sua postagem! Ficou bem completa e informativa. Particularmente falando, acho que a pessoa tem que ser muito corajosa para ser ghost-writer. É quase como desfazer-se de um filho, eu acho. Quando escrevo algo, tenho costume de me afeiçoar àquilo e preciso que ele receba o meu nome, que se torne meu. Agora ver outra pessoa levando os créditos é duro, heim...
Li "Budapeste" e achei o protagonista um chato, mas Chico Buarque mostrou bem essa ambiguidade de sentimentos, essas contrariedades da vida de escritor em anonimato.
Se não estou errada também, a Hilary Duff escreveu "Elixir" em parceria com uma ghost-writer.

Beijinhos,
Ana - Na Parede do Quarto

Tullia Maria disse...

Que bom que gostou! :)
O filme ajuda bastante a entender esse mundo!!
Beijo

Tullia Maria disse...

Obrigada, Milla! :D
Assista mesmo... Vai ajudar a entender a profissão!!
É uma coisa bem grande mesmo, né? rsrsrs
Beijooo!

Tullia Maria disse...

Que bom que você gostou!!
Pois é! Há muito mais Ghost Writer do que imaginamos!!
hahaha É dúbio, né?
Que bom ler isso, Flor! Passe sempre por aqui! :)
Beijo!

Tullia Maria disse...

Que bom! :)

Tullia Maria disse...

hahaha
Bom, as pessoas tem seus motivos, né?
Só conversando com um ghost writer pra saber!!
O episódio fica de dica, então! :)

Tullia Maria disse...

Vale à pena assistir o outro também...
É uma profissão bem complexa mesmo! :)
Beijoo!

Tullia Maria disse...

Obrigada, Nica! :)
É bom saber mais sobre os "escritores fantasmas", né?
Beijão!

Tullia Maria disse...

Mas existe... E há muitos por aí! :)

Tullia Maria disse...

Obrigada! :)
Que bom que eu ajudei... rsrsrs

Tullia Maria disse...

Obrigada! :)
Concordo com você! A pessoa precisa ter coragem... E seus motivos, né?
Talvez o filme seja mais legal... Mas o importante é que ele demonstra os sentimentos do ghost writer...
Vou pesquisar! :)
Beijos!

Gisela M. Bortoloso disse...

Só fiquei sabendo que isto existia com o filme "O Escritor Fantasma". Muito boa a sua reportagem sobre o assunto.
um abraço
Gisela - Ler para Divertir

Francine Ramos disse...

Muito bacana seu post! Pouco se fala dessas pessoas tão importantes para a literatura e para a história. Parabéns.

Artur César disse...

Muito boa a postagem, acabei de assistir The Ghost Writer, execelente filme, e em seguida vi a sua postagem!
Muito bom blog, já o sigo!
beijos Artur

Postar um comentário

Olá, muito obrigada pela visita!
Aproveite e deixe sua opinião a respeito do post, vou adorar! ;)

Para que eu possa responder seu comentário, deixe seu twitter, facebook, e-mail, ou qualquer outra forma de contato rsrs :D

Beijos e volte sempre :*