Foi Pra Telona: A Estrada

12 comentário(s)

Foi Pra Telona: Coluna feita mensalmente pela escritora Roberta Spindler, com indicações de filmes incríveis baseados nos nossos amados livros. 
A Estrada ♥
Sinopse (IMDb): Um pai e seu filho andam sozinhos pela América queimada. Nada se move na paisagem devastada a não ser as cinzas ao vento e água. É frio o suficiente para quebrar pedras, e quando a neve cai, é cinzenta. O céu está negro. O destino é o Sul, que será mais quente, embora eles não saibam se lá alguma coisa os espera. Eles não têm nada: apenas uma pistola para se defenderem contra os gangs canibais que patrulham a estrada, a roupa que têm vestida, um carrinho de compras ferrugento com comida estragada e um ao outro.



Baseado na obra ganhadora do prêmio Pulitzer de 2007, de autoria de Cormac McCarthy, A Estrada (2009) é um filme emocionante e triste.
Acompanhamos a jornada de um homem e seu filho por uma América destruída e somos levados a nos questionar sobre o que realmente importa em nossas vidas. 

Diferente de outros filmes pós-apocalípticos, A Estrada se foca no relacionamento de seus protagonistas e em nenhum momento se preocupa em explicar as origens do caos que tomou o mundo. O amor entre pai e filho é, sem dúvidas, um dos elementos mais fascinantes da película. Com uma atuação impecável de Viggo Mortensen, o Homem (sim, os personagens não têm nomes definidos) é uma figura atormentada, dividida pelas lembranças do passado e a obstinação em proteger seu filho (Kodi Smit-McPhee). 

Apesar dos perigos constantes, o filme tem um ritmo lento e contemplativo. Não há mocinhos nem bandidos, não há certo nem errado. Os próprios seres humanos são a principal ameaça, principalmente aqueles que, desesperados com a falta de alimentos, viraram canibais. Por isso mesmo, a obsessão do Homem em ensinar valores ao filho é tão tocante.
A direção de John Hillcoat é hábil e segura. Os cenários de destruição e a fotografia sempre cinzenta aumentam ainda mais a sensação de desolação. O roteiro de Joe Penhall se mantem fiel à obra de McCarthy, divergindo apenas na inclusão de flashbacks que nos mostram um pouco da vida do Homem antes do desastre e a relação dele com sua esposa (interpretada por Charlize Theron). Esses flashbacks só enriquecem a trama e aumentam ainda mais a tristeza que sentimos pelo Homem.

Assim como acontece quando lemos o livro, os diálogos são secos e diretos. Isso só torna a experiência ainda mais crível. Enquanto assistimos ao filme, somos tomados por uma sensação de angústia, pois é fácil nos colocarmos na pele daqueles personagens. A cada minuto que se passa, sentimos a preocupação do Homem e tememos pela segurança do filho. E quando o final chega, arrebatador, um vazio se instala em nosso peito.

A Estrada não é uma experiência fácil, mas não deve ser ignorada. Cormac McCarthy criou uma obra magistral e Hillcoat nos brinda com uma adaptação igualmente tocante.

Roberta Spindler nasceu em Belém do Pará, em 1985. Graduada em publicidade, trabalha como editora de vídeos. Nerd confessa, adora quadrinhos, vídeo games, livros e rpg. Escreve desde a adolescência e é apaixonada por literatura fantástica. Teve seu primeiro livro, Contos de Meigan – A Fúria dos Cártagos, publicado pela Editora Dracaena em dezembro de 2011. Além disso, publicou nas antologias Psyvamp e Deuses, da Editora Infinitum, e Tratado Secreto de Magia – Vol. II, da Editora Andross.

12 comentários:

Gabriela Gomes disse...

Que legal, parece ser ótimo!
www.espacegirl.com

Lú Miranda disse...

Sinceramente, eu não gosto muito de filmes ou livros que expressem tristeza entre pais e filhos. Tipo, "em busca da felicidade", eu assisti e nunca mais vou ver aquele filme. Tenho enormes problemas com pessoas que perdem, morrem ou de algum medo são menos favorecidas. Isso faz eu torcer por elas, mesmo que elas sejam erradas.
Ai, desabafei. rsrsrs

Alyne Lemos disse...

Não sabia que era um livro, mas quando fui assistir dormir e só acordei quando já havia acabado. Mas foi ótimo, porque posso ler agora, hahaha Beijos!



http://paginasnaestante.blogspot.com.br/
@pginasnaestante

Livroterapias disse...

Nossa!
Esse livro é perfeito!
Quero ver o filme!
Beijinhos
Rizia-Livroterapias
http://livroterapias.blogspot.com.br/

Kel Costa disse...

Não sei porque nunca vi esse filme. Lembro que na época que lançou eu estava super afim de assistir, mas acabei esquecendo... O livro não tenho vontade de ler, mas agora que relembrei disso, vou correndo tentar ver o filme :p

Bjs,
Kel
www.itcultura.com.br

Sofia disse...

Já tinha visto algumas coisas sobre livro e filme, e achei muito interessante, principalmente as aparentes diferenças desse com outros filmes! ótima dica!

Beijos

Julia G disse...

Ei meninas, nunca tinha ouvido falar nessa história, mas eu gostei do enredo. Distopia, inclusive, é comigo mesmo! rsrs
Fiquei interessada na história, mas acho que antes de assistir ao filme vou tentar ler a obra.

Beijos

Dayane disse...

O livro deve ser ótimo e o filme também, gosto muito de filmes sobre esse assunto \o/
Beijinhos
conversando-com-a-lua.blogspot.com.br

Maressa de Sousa disse...

Imagino que o livro seja daqueles para serem mastigados aos poucos, e o filme da mesma forma. Ainda que possa ser mais lento acho que falar sobre valores humanos em histórias como essa é sempre válido. Eu assistiria com toda certeza!

desconstruindoaspalavras.blogspot.com.br

Aline Gasparini disse...

Olá Roberta!
Primeiramente, parabéns pela resenha ficou realmente muito boa. Ando muito interessada em livros e filmes pós-apocalípticos, e confesso que nunca dei atenção para esse em especial, porém depois de ler sua critica fiquei bem interessada, sem dúvida irei assisti-lo.

Beijos&beijos
Book is life

Luiza disse...

Oii..
Antes de comentar o post propriamente dito tenho que dizer que: o blog é lindo demais. Encantador e aconchegante. Parabéns!

Não conhecia o livro, mas confesso que a resenha me deixou bem curiosa.

NORA ROBERTS como autora do mês!
Eu simplesmente sou super fã dela. Ela é incrível!

Como não está mais aceitando parcerias, vou te linkar, tá?!
Beijos!

Paola Patricio disse...

Eis!

Se eu não me engano eu já vi esse filme... Fiquei um pouco perdida.. Mas, me emocionei no final...
Se for o mesmo que penso..rsrsrs

Beijos
http://plantaoonline.blogspot.com.br/

Postar um comentário

Olá, muito obrigada pela visita!
Aproveite e deixe sua opinião a respeito do post, vou adorar! ;)

Para que eu possa responder seu comentário, deixe seu twitter, facebook, e-mail, ou qualquer outra forma de contato rsrs :D

Beijos e volte sempre :*